Aos quatro anos, tinha por hábito esgueirar-me secretamente através da cerca do nosso quintal para explorar o mundo que existia do outro lado. Um passo de cada vez, um pouco mais longe de cada vez, essas pequenas escapulidelas da infância acabaram por se tornar na procura de uma vida: uma apaixonada busca por "aquilo que está além". Uma busca, de certa maneira, pela verdade.

Talvez seja uma busca em vão. Talvez a verdade também esteja além  ̶  além da realidade e do alcance humano. Mas, ao contemplar o horizonte, sempre se pode imaginar o infinito...

O meu trabalho artístico nasce desta reflexão. Pés ancorados no chão e mãos ancoradas na matéria, procuro vislumbrar o invisível, tocar o intangível. Através de uma prática multidisciplinar e usando uma variedade cada vez maior de técnicas e materiais incluindo vidro, cerâmica e objetos encontrados, exploro a natureza física da matéria, os limites da experiência humana, e a maneira singular pela qual se combinam para dar origem, além da ilusão da realidade, a um profundo anseio pela verdade. Os meus projetos recentes refletem particularmente sobre o silêncio que às vezes surge – subitamente, imprevisivelmente – do caos do quotidiano, e que parece exprimir a própria essência do mundo.